Publicidade

Se trabalho doméstico fosse remunerado, mulheres ganhariam mais que homens, aponta estudo

Publicidade

A coluna do jornalista Ancelmo Goes publicou uma notícia intrigante e que reflete o cenário difícil enfrentado pelas mulheres no mercado de trabalho. A notícia veiculada em O Globo aponta que se as mulheres recebessem pelo trabalho doméstico, ganhariam mais de R$ 1 trilhão.

A constatação é baseada em estudo feito pelo Instituto Locomotiva, o Womans 20 Outreach, que realizou uma pesquisa sobre inclusão feminina no mercado de trabalho. Outro agravante mora na jornada de trabalho. De acordo com o levantamento, o tempo médio gasto por mulheres com os afazeres domésticos, incluindo o cuidado com pessoas, é de 92 horas por mês.

Trocando para dinheiro, caso estas profissionais fossem remuneradas de acordo com a configuração do mercado de trabalho, a quantia ficaria na casa do R$ 1.066 trilhão por ano.

Os resultados vão de encontro com outro levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que no último Dia da Mulher, compilou dados concluindo que mulheres trabalham 72% a mais do que os homens quando o assunto são afazeres domésticos.

O cenário se agrava ainda mais se o recorte leva em consideração a disparidade racial vigente. No caso das mulheres negras, o tempo gasto sobe em pelo menos 1 hora. Em comparação com os homens negros, esta parcela da população se dedica 8 horas a mais.

“Constatamos que a profissão doméstica é uma das mais negligenciadas e isso é um resultado claro do histórico escravista, ou melhor é visivelmente uma extensão da escravidão só que disfarçada”, opina em texto publicado no Blogueiras Negras a estudante de psicologia Mara Gomes.

A resolução do entrave é fundamental para o desenvolvimento. O Brasil, de acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), é dono da maior população de trabalhadores domésticos. Os números superam os habitantes da Dinamarca.

Há cinco anos atrás foi promulgada a Emenda Constitucional 72, mais conhecida como a PEC das Domésticas (PEC 66/2012). A lei concede aos trabalhadores domésticos direitos básicos como uma jornada de trabalho de até 8 horas por dia, além de remuneração prevista no caso de horas extra. Contudo ainda falta muito. O IBGE diz que atualmente são mais de 6.300 domésticas no Brasil, entretanto apenas 1.500 possuem vínculo empregatício formal.

*Crédito Hypeness

Fala aí
Outras

Você talvez tenha visto nos últimos dias uma rodinha animada (ou algum vídeo nas redes sociais) com gente tentando fazer um gesto estranho com as mãos.…

Este ano, seis casas de diferentes estilos, dimensões e épocas acomodam 47 ambientes projetados por 69 profissionais. Uma das seis residências terá acesso diferenciado e irá…

Uma das belezas do nosso Vale são os viadutos, sejam eles os mais conhecidos, como o V13, em Vespasiano Corrêa, ou os que ainda não são…

Quando olhamos para esse piso logo lembramos da casa da vó não é mesmo?! Porque ele é cheio de história, que conheceremos a seguir. Entre a…

Dobro + Bravo